Buscar
  • Suelen Brandão

Um sentimento destruidor.

Essa imagem cheia de livros destruídos mostra como meu coração ficou nesses últimos dias, sentimentos perdidos, lembranças rasgadas, uma dor angustiante, como se fosse impossível colocar tudo no lugar, impossível voltar a ser como era, e realmente é impossível, esses livros mesmo que sejam colocados todos de volta em uma prateleira, jamais voltarão a ser o que eram um dia, mesmo que a capa deles seja trocada, sempre que folhear algum, os resquícios da destruição que eles sofreram ainda aparecerão em mínimos detalhes dentro deles. Um livro com uma página rasgada jamais volta a ser o que era.

Talvez os livros não sejam o melhor exemplo para expressar os meus sentimentos destroçados, o sentimento da perda é corrosivo, ele começa com a notícia da perda, e se for alguém que não estava doente, seu cérebro meio que desliga e você fica completamente sem reação, sem saber o que fazer, quando finalmente cai a ficha, você vai gradativamente sentindo uma pequena dor e um frio dentro de você aumentando aos poucos, e de repente, quando você menos espera todos aqueles sentimentos se juntam se tornando um só, e é algo que não tem mais volta, não tem mais como controlar, porque os sentimentos juntos, em um só se tornam algo impossível de descrever, algo que vai muito além das palavras, só uma imagem mesmo para descrever mais ou menos como ficamos por dentro.


Um sentimento destruidor, é assim que a dor da perda se chama, porque ela corrói, esmaga e aperta tudo na gente por dentro, ela destrói tudo por onde passa, tipo um grande furacão, nada mais faz sentido como fazia antes, você acaba mudando, porque como eu descrevi mais acima, você não tem como colar as folhas de volta no livro, ele jamais será o mesmo, então vem a parte mais importante da perda, a parte em que você precisa descobrir como continuar sendo você mesmo, como continuar vivendo sua vida sem ter mais aquela pessoa pra dividir tudo, como arrumar os sentimentos dentro da gente pra continuar vivendo e existindo, porque parece tão difícil, porque sentimos que é impossível, afinal é impossível não querer mandar uma mensagem mesmo que você saiba que não vai ter resposta, impossível não relembrar cada momento, cada palavra, cada risada, cada mínimo detalhe da existência de uma pessoa que era tão especial para você. Descobri que é realmente impossível.

Ainda não ajeitei toda a prateleira da minha vida, ainda não consegui arrumar tudo no seu devido lugar, ainda penso todos os segundos e relembro cada detalhe, ainda é recente para eu ensinar a vocês como colar os livros rasgados dentro de mim, ainda é recente demais para sentir algo além da dor, ainda não é a hora de eu dizer o que podemos aprender com uma perda, o que podemos tirar de bom nisso mesmo parecendo que nada de bom pode ser tirado, afinal a morte não é compreensível a nenhum de nós, mesmo que ela chegue um dia para todos nós.

Só posso dizer com toda a certeza que jamais serei a mesma outra vez, vou ter que me refazer aos poucos, sei que o refazer é complicado e difícil mas também sei que é necessário passarmos pela dor, guardamos as coisas boas em nosso coração, ainda vai doer, provavelmente sempre que tivermos alguma conquista na vida, sempre que vivermos algo, sempre que algo importante vier a acontecer lembrarei que tenho uma pessoa a menos para dividir, e isso nunca será um motivo bom ou se quer compreensível, talvez nunca venhamos a entender a perda de alguém querido, mas o fato é, precisamos nos reerguer, todos os dias, um pouco mais a cada dia, porque mesmo que não tenhamos controle sobre tudo, temos controle sobre nossas escolhas, e precisamos escolher viver, e aproveitar o máximo de cada segundo que nos resta, porque com certeza era isso que aquela pessoa querida iria querer que fizéssemos.


Senhor, te peço que faça nascer flores no lugar de todas as minhas dores.
10 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo